segunda-feira, setembro 25, 2006

COISAS DO MUNDO DO FUTEBOL

ENTORNOU-SE O CALDO NO MUNDIAL DOS SEM-ABRIGO
O Homeless World Cup é assim uma espécie de campeonato do mundo de futebol para os sem-abrigo! Logo aqui começa a aberração! Este ano a competição – promovida pela Rede Internacional de Jornais de Rua (não sabia que havia!) – disputou-se na África do Sul e teve uma representação portuguesa, através de 8 jogadores, incluindo equipa técnica.
Mas o caldo entornou quando os portugueses – e outras delegações – foram instalados numa escola secundária em vez do Hotel Ritz, como lhes tinham prometido, o que motivou a delegação portuguesa a abandonar o local, instalando-se noutro local a expensas suas. Uma das razões invocadas foi a insuficiência de duches
Esperem aí, há aqui qualquer coisa que não bate certo: então, uma escola secundária não é melhor que a rua? E os duches? Duches? Mas quem precisa disso? Afinal, não é o Mundial dos Sem-Abrigo?
Entretanto, Portugal ganhou o primeiro jogo à Suécia por 10-1. Admirados? Claro que não! Então, a Suécia tem lá sem-abrigos, lá deviam ter desencantado alguém que passeava na rua tarde da noite! Vislumbrando não tem a certeza mas parece que Cavaco Silva também disse a estes jogadores – mas baixinho – «de vocês só esperamos que tragam a Taça».
O prémio final ainda está em segredo mas crê-se ser um conjunto de cobertores novinhos 90x180 cm 50% nylon 50% elastano.
GIL VICENTE PODE VIR A JOGAR EM ESPANHA
Segundo Fundamentalidades apurou junto de alguns sócios influentes do Gil Vicente, ganha contornos a possibilidade do clube de Barcelos – em resultado do conhecido «Caso Mateus» – poder vir a solicitar à Federação Espanhola de Futebol o ingresso na 3.ª Divisão de … Espanha!
A situação parece insólita mas aqueles sócios do Gil Vicente acreditam que Espanha até veria com bons olhos a participação de equipas portuguesas nos seus campeonatos – quem sabe não estaria aqui a génese de uma futura Liga de Futebol Ibérica, onde os clubes espanhóis teriam preponderância em relação aos portugueses* – e o Gil preferia jogar na 3.ª divisão em Espanha que na 2.ª em Portugal.
Não é, no entanto, exequível que isso aconteça porque a Federação de Espanha não quererá entrar nas polémicas do futebol português e beliscar a sua imagem perante a UEFA e a FIFA. Mas fica a curiosidade!

* Há muito que eu defendo uma Liga Ibérica com uma proporção de 14 para 6 (numa competição de 20 clubes) ou de 13 para 5 (com 18 equipas). Neste último caso teríamos como representantes de Portugal o FC Porto, o Sporting, o Benfica, o Braga (pelas boas performances das últimas épocas) e o Boavista (por ter sido campeão nacional em 2001). O futebol português só teria a ganhar e talvez as polémicas desaparecessem de uma vez por todas!

VÊM AÍ A REPETIÇÃO DE JOGOS COM ERROS TÉCNICOS

O Sporting exige que seja repetido o jogo que disputou a semana passada com o Paços de Ferreira – e que perdeu – invocando para essa pretensão um erro técnico por parte do árbitro – atenção, não foi o golo com a mão do jogador pacence, foi um lance em que o guarda-redes do Paços de Ferreira repôs mal a bola em jogo!
Deste modo há já muitos clubes que pedem também a repetição de jogos que disputaram e que não venceram: alguns invocam para isso os falhanços dos seus avançados que, com a baliza aberta à sua frente, atiram a bola para fora, o que é considerado um erro técnico do jogador pois não é isso que eles aprendem nos treinos; e outros clubes invocam os «frangos» dos seus guarda-redes pois também se trata de erros técnicos. Vamos ver que parecer darão as autoridades futebolísticas em relação a estes casos, sabendo-se que o caso poderá subir a plenário na AR numa das próximas sessões.

1 Comments:

At setembro 25, 2006 8:28 da tarde, Blogger O LEÃO DA ESTRELA said...

Daqui para o futuro, o médio benfiquista Karagounis corre o risco de se ver grego perante a administração da SAD do Benfica e a plateia de seis milhões (pelo menos...) de adeptos encarnados, uma vez que concedeu uma entrevista a um jornal da Grécia, em que teceu rasgados elogios ao Sporting e à sua escola de futebol.
Não podendo falar sobre o Benfica, porque os profissionais do clube, ao que parece, que estão proibidos de falar sobre a empresa que representam (uma estranha política de comunicação num regime democrático...), eis que o internacional grego optou por falar do Sporting, para elogiar a grande aposta na formação e na juventude que se faz em Alvalade, ou melhor, em Alcochete. Parece estranho, pois é como se Luís Figo concedesse uma entrevista para elogiar o AC Milan...
Proibido de falar do seu clube na entrevista a um jornal ironicamente chamado "Eleftherotipia", o que significa "Liberdade", Karagounis disse então que "o Sporting é um exemplo a seguir". E explicou: "Cinco jogadores do onze inicial vêm das camadas jovens. Os jogadores aprendem desde o início a jogar no mesmo sistema táctico e jogam quase de olhos fechados. E valorizam, acima de tudo, o conjunto."
E como não estava proibido de falar sobre os adversários, o médio grego referiu-se à maturidade precoce de João Moutinho lembrando que "já tem o estatuto de capitão aos 19 anos". Sobre a política de vendas do Sporting, adiantou: "Os jogadores ficam mais dois ou três anos e depois dão o salto para um grande da Europa. O Sporting é um exemplo a seguir", sentenciou Karagounis.
É claro que José Veiga não vai gostar... Luís Filipe Vieira também não... Fernando Santos vai levar a mão ao nó da gravata para alivar a pressão sobre o pescoço... E parece evidente que os jogadores do Benfica, se calhar, também ficarão proibidos de falar sobre os adversários...

 

Enviar um comentário

<< Home