domingo, novembro 12, 2006

A PROPÓSITO
DOS DIÓSPIROS



Pensei que o dióspiro era uma fruta conhecida mas comprovei nos últimos dias que nem toda a gente a conhece. Alguns amigos meus perguntaram-me se eu tinha escolhido um tomate para ícone da minha pessoa e do meu blogue. Respondi que não, que a imagem que acompanha o meu perfil é um dióspiro, fruto que vem do diospireiro, o qual é originário do China e do Japão tendo sido introduzido na Europa em finais do século XVIII por um botânico inglês.
------------------------------------------


O dióspiro é uma fruta sazonal, aparece em Outubro e Novembro e depois, como que por artes mágicas, quando vamos à procura dele, constatamos que... desapareceu!
--------------------------------------------------------
E falo aqui de dióspiros porque é a minha fruta preferida, ligeiramente à frente das cerejas. Só consigo comer quando está muito maduro, quase a desfazer-se, mesmo a rebentar. Se for comido antes de estar maduro tem um gosto ácido que se cola na garganta. Mas bem maduro é óptimo, é doce, e tem muita fibra.
-------------------------------------------
Há quem não aprecie dióspiros geralmente porque... nunca provou! É uma fruta complicada de transportar, não pode vir dentro de sacos como as maçãs, as pêras ou as bananas, senão quando se chega a casa em vez de frutos temos uma massa avermelhada dentro do saco. Tem que ser transportada em caixas - de cartão servem, usam-se muitas vezes aquelas dos bolos sortidos.
------------------------------------------
E depois, pronto, é só chegar a casa, pegar numa colher de sobremesa e disfrutar do dióspiro. Mesmo os que gostam muito quando chegam ao fim do segundo já estão enjoados. E como é uma fruta cara convém também não abusar.
------------------------------------------
Mas porquê o meu gosto por dióspiros, perguntarão vocês. E mesmo que não perguntem eu respondo: eu acho que é genético! Parece estranho mas eu explico: durante a II Guerra Mundial muitas regiões de Portugal passaram muitas privações de alimentos. A minha mãe, ainda muito pequena, vivia com os meus avós e com mais 6 irmãos no Alto Alentejo, a escassez de alimento fez com que muita gente passasse fome nesses anos difíceis. Mas fome a valer, não é dessa fome que nós temos às vezes uns minutos antes do almocito. Felizmente a minha mãe escapou a essas fomes porque o meu avô tinha o que se chamava um vale, de onde retirava fruta e hortaliça que dava para evitar males maiores. A variedade, no entanto, não era muita, e a minha mãe - e os irmãos - faziam muitas vezes dos dióspiros as suas refeições - eu ainda conheci alguns desses diospireiros, enormes, frondosos. E, pronto, isto tudo à conclusão que a minha mãe sempre adorou dióspiros e eu segui-lhe os gostos! Por isso digo que é genético.
-----------------------------------------
A maior tragédia que me aconteceu com dióspiros foi quando quis levar uns para casa de uma pessoa como prenda de bom gosto e quando cheguei e lhos entreguei eles estavam todos espapassados - mas, pronto, não foi por isso que essa pessoa me deixou de tratar bem! Para aqueles que gostam, apressem-se porque daqui a uns dias já não há... pelos menos os da qualidade aqui exibidas nas fotos!
----------------------------------------------
Um dia destes sou capaz de fazer uma ode ao dióspiro... e pedir ao meu grande amigo Pedro Barroso (clicar) que a musique. Se ele já dedicou uma canção a uma mesa é a pessoa certa para dar música ao dióspiro...

25 Comments:

At novembro 13, 2006 12:16 da manhã, Blogger Cocas said...

Eu não aprecio...mas a minha mãe devora dióspiros...até chega a enjoar de a ver comer!!!
Beijos e um boa noite :)

 
At novembro 13, 2006 12:34 da manhã, Blogger sónia said...

a minha avó adorava dióspiros..foi ela que "mos apresentou".. - sinto falta

 
At novembro 13, 2006 5:59 da manhã, Blogger Alexandre said...

Sophia...
aqui para nós ontem à noite comi 2 seguidos e fiquei enjoado... mas, pronto, soube-me bem na altura e estavam-se a estragar...
Beijokas e boa semana.

 
At novembro 13, 2006 6:01 da manhã, Blogger Alexandre said...

Sónia,
Bem vinda! Já dei um salto ao teu blog, vou lá voltar com mais tempo, claro! Já vi que prezas muito a imagem /fotografia, tb gosto mt de fotografia.
Os avós são parte da nossa alma... deveriam ficar para sp ao nosso lado.
Obrigado. Beijinhos!

 
At novembro 13, 2006 9:37 da manhã, Blogger angel bar said...

Pois é Alex, bela fruta, também adoro. Quanto ao transporte o ideal é numa caixinha de preferência com compartimentos. São muito sensíveis os maravilhosos dióspiros. Boa semana, Beijinhos

 
At novembro 13, 2006 10:17 da manhã, Blogger Isabel said...

Parece que todos temos uma história com os diospiros. Eu nunca tinha experimentado e achava que não gostava pelo aspecto, por se parecer realmente com um tomate ( não é meu hábito ser assim que nunca falo sem exprimentar e tenho a mania de exprimentar tudo). O pai de uma amiga minha, um senhor com uma certa idade e que infelizmente já morreu, tinha uma paciencia infinda comigo e tinhamos uma enorme cumplicidade. Um dia na quinta deles ele disse-me: anda cá pequenita vamos comer um petisco especial só tu e eu. Deu-me a não sentamo-nos num degrao e aos poucos ele foi-me dando colherinhas de diospiro, e confesso que aquilo que até ai me parecia horrivel dado por aquele senhor que eu adorava me soube tão bem que passei a adorar diospiros e aprendi que nunca se deve dizer que não gostamos de algo sem exprimentar primeiro.

Até breve.

 
At novembro 13, 2006 10:33 da manhã, Anonymous Anónimo said...

e conheces aquele tipo que parece uma mistura - maçã + dióspiro? Trincam-se como as maçãs e não colam? são óptimos, costuma haver no Corte Inglés...

 
At novembro 13, 2006 11:44 da manhã, Blogger Ana said...

Nham... adoro diospiros!

 
At novembro 13, 2006 12:06 da tarde, Blogger Miudaaa said...

Adoro Dióspiros... até suspiro só de pensar, que agora papava um, dois... três.
Por vezes zango-me com eles... porque sou super(?) hiper, mega cuidadosa, com eles e eles... plofff!!!
Apesar de os colocar com carinho, dentro de uma caixa... transportá-los como se de ovos se tratasse... eles, são malandrecos...
Mas tal como aconteceu contigo, não é essa a razão pela qual os deixo de papar...

Um beijo no dióspiro = TU

 
At novembro 13, 2006 12:14 da tarde, Blogger Alexandre said...

Miudaaa:
Uau! Recebi o beijo doce! Pois é, quem diria que um post sobre dióspiros iria motivar este interesse?
Fico contente por haver tantos apreciadores. Qq dia fazemos um clube de fãs do dióspiro!
Megas beijinhos! Ah, ainda ontem rebentei 2 e ficou lá outro já rebentado para comer hoje à noite! Beijokas!

 
At novembro 13, 2006 12:18 da tarde, Blogger Alexandre said...

Angel Bar:
Essa ideia da caixinha com compartimentos realmente é melhor porque não chocam uns com os outros. Como eu disse, ainda ontem rebentei 2 ou 3...
Beijokas!

 
At novembro 13, 2006 12:23 da tarde, Anonymous Juda said...

Boa surpresa, vim por outro blog até aqui, gostei, deixo um abraço...

 
At novembro 13, 2006 12:23 da tarde, Blogger Alexandre said...

Isabel:
Tão bonita a tua história, aliás, tu és uma contadora de histórias de primeira água!
Super beijinhos!

 
At novembro 13, 2006 12:38 da tarde, Blogger deep said...

Adoro dióspiros, mas os de "roer", como lhe chamam, não me convencem!
Achei curioso este teu post, quer pelo tema, quer pela forma agradável e ritmada como escreves. Aprendi umas coisas.

Boa semana.

 
At novembro 13, 2006 12:42 da tarde, Blogger Alexandre said...

Pt:
Sim, esses duram até mais, são de roer, digamos! Tb são bons!
Beijinhos aí para Tomar e para o teu filhote e para ti!

 
At novembro 13, 2006 12:43 da tarde, Blogger Alexandre said...

Ana:
Já dei um salto ao teu blog e gostei imenso, aliás, jé deixei lá um comentário e vou voltar mais vezes!
Beijinhos Muitos!

 
At novembro 13, 2006 12:58 da tarde, Blogger Alexandre said...

Juda:
Super obrigado! Isto por aqui é generalista ma tento dar-lhe um toque pessoal!Já vi o teu blog - aliás já o tinha visto antes - e acho-o fantástico!
as coisas boas que circulam aqui na net, surpeendo-me a cada dia...
Um abraço!

 
At novembro 13, 2006 1:04 da tarde, Blogger Alexandre said...

Deep:
Que bom quando alguém diz que aprendeu alguma coisa connosco! Faz bem ao ego.
Tb vou aprender alguma coisa no teu blogue, já me passeei por lá... e... vou voltar!
Beijokas muitas!

 
At novembro 13, 2006 1:19 da tarde, Blogger 13 said...

Não saber o que é um dióspiro... Com franqueza!

 
At novembro 13, 2006 1:30 da tarde, Blogger Ari said...

Pois olha eu adoro diospiros, fazem engordar que se fartam, mas quero lá eu saber disso ehehehe

Posso levar um destes do blog pro lanche ?

Não vou esperar pela tua resposta...levo !

Beijokinhas lambuzadas de diospiro eheheh

 
At novembro 13, 2006 2:44 da tarde, Blogger brettinha do campo said...

hummmmmmmmmmmm!
eu adoro!
mas bem maduros e tambem prefiro comer á colher.......
quando vou á feira custumo trazer uma caixa lolololol
boa degustaçao!

 
At novembro 14, 2006 10:49 da manhã, Blogger A. said...

ADORO dióspiros! é pena ser realmente um fruto sazonal, tão sensivel e, com umas chuvitas, lá aparece a lagartita (como nos figos que é outro futo que adoro!).
fico a aguardar a ode ao dióspiro!

 
At novembro 14, 2006 12:42 da tarde, Anonymous isutil said...

Quem diria que os dióspiros dariam tanto que falar. Pois é também adoro, mas informo que também são indigestos, devido à sua acidez, portanto cuidado com o estômago.
Físicos à parte sabiam que no Alentejo,especialmente em Campo Maior, devido à sua proximidade com Espanha chama-se aos dóspiros CÁQUIS???
Até breve

 
At novembro 27, 2006 7:30 da tarde, Anonymous graça said...

Bom, pois eu também gosto de dióspiros. Cheguei a este sítio porque queria saber como se amadurecem em casa, caso sejam colhidos ainda verdes. Pelo jeito vou ter de continuar a procurar. Já agora, não é para ser mete nojo, mas nunca usei a caixinha para o transporte. Costumo trazê-los nas mãos, tenho um dióspireiro nas traseiras da minha casa. Como já faz bastante frio, aqui pela Figueira da Foz, tive de apanhar os 4 que ainda resistiam na árvore, mas já não amadureciam. Ah, já agora, cá em casa os meus concorrentes são 2 labrador que comem todos os dióspiros a que conseguem deitar os dentes, a ponto de ficarem doentes devido ao abuso. Atribulações de quem é guloso. Um resto de bom dia

 
At outubro 25, 2008 3:21 da tarde, Anonymous CORTINAS RASGADAS said...

Observar a arvore do Diospiro desprovida de folhas e ainda carregada de frutos, é sem duvida uma experiencia visual magnifica que infelizmente poucos conhecem...

Tal como dizes, o Diospiro para que não "ensape" a boca, tem que se comer quase "podre". No entanto existe uma outra variedade mais recente (a ciencia tudo permite) que pode ser comida dura.
Há quem lhe chame Diospiro de roer por se poder comer duro sem aquela sensação estranha que fica na boca com os normais.
No entanto, se os deixarmos amadurecer, ficam iguais em textura aos outros.
Pessoalmente prefiro estes novos, pois podem ser comidos á colher como se fossem pequenas meloas.
Tem precisamente o mesmo sabor, com a diferença de os podermos apreciar em outra textura sem os tais inconvenientes da imaturidade do fruto.
Não existem naturalmente em Portugal e todos são importados, sendo vendidos como iguaria e mais caros que os demais.

Como alguem disse: "O Diospiro não é para se comer mas para se apreciar..."

 

Enviar um comentário

<< Home