terça-feira, novembro 28, 2006

PARTIR!

Apetece-me tanto partir!
Agora...
...ao encontro do afago,
do aconchego quente e terno do abraço
em manso desvelo desejado,
em inquieto sonho sentido...
que arrepio!!!
que estremeço!!
acordo? adormeço?

Apetece-me partir...
agora, já, ontem, partir...
Seduz-me o apelo, doce
a voz afável, serena que se me entranha
nos poros e em cada célula
do corpo, em cada segundo
de pensamento na fracção
do tempo em que me estranho
em cada sonho
que me invade...

Apetece-me partir, enfim...
embalada pelo sopro da paixão
...agora... assim...
...no segredo da fantasia...shiu...

...aceitar um sono tranquilo
e a ternura do beijo eternamente
esperado... shiu...
....não quero que me acordem
não mudem nada, nada,
não consigo querer que mudem tanto...
não há nada para mudar, nada...
nada.....

....Apetece-me partir…
...seduzida pelo encanto
do sono que dura....
.....Apetece-me ir...
....agora................................

Este poema é da autoria de Olga Fonseca. Muito bonito. Às vezes também a mim me apetece partir... Para onde, não sei! Se possível para um lugar onde os abraços sejam reais...
(a tocar «Foram cardos, foram prosas» por Manuela Moura Guedes - os comandos encontram-se no fim do blogue)

13 Comments:

At novembro 29, 2006 2:06 da tarde, Blogger angel bar said...

Tantas vezes que nos apetece partir... e partimos... nem que seja naquilo que escrevemos... Um beijinho

 
At novembro 29, 2006 2:25 da tarde, Blogger MARTA said...

Ontem, foi um dia em que me apeteceu partir...Por isso, escolhi escrever sobre a Ave Maria de Schubert.
O poema é lindo, Alex - gostei mto.
Beijos e abraços
Marta

 
At novembro 29, 2006 4:55 da tarde, Blogger Dora Francisco said...

Apetece-me mesmo é chegar... não sei bem onde... mas vou tentando...
Belo poema

 
At novembro 29, 2006 8:42 da tarde, Blogger deep said...

Também me dá vontde de partir tantas vezes!

O poema é muito bonito.

bjs e bom resto de semana

 
At novembro 29, 2006 10:51 da tarde, Anonymous isutil said...

Hoje foi daqueles dias em que pensei e desejei partir por diversas vezes...para um mundo em que não houvesse sofrimento. Foi daqueles dias em o desespero pode levar a loucuras que poderão fazer sofrer os que ficam ,mas não oa que partem.
Desculpa o desabafo. O que vale é que o dia está a chegar ao fim e dizem que a almofada é boa conselheira...Beijinhos terrenos

 
At novembro 30, 2006 2:11 da manhã, Blogger Cristina said...

Acontece a todos nós, temos que ser fortes em momentos mais dificeis
:)
beijinhu e força

 
At novembro 30, 2006 10:01 da manhã, Blogger Isabel-F. said...

Sem dúvida que por vezes tb a mim me apetece partir ... tb sem saber bem para onde ...

O poema é lindissimo.

Bfds
Bjs

 
At novembro 30, 2006 11:22 da manhã, Blogger Alexandre said...

Angel, Marta, Nuvens, Deep, isutil, Cristina e Isabel-f:

Respondo a todas em conjunto porque realmente parece que a reacção ao poema da Olga mostra que já todos passámos por momentos em que nos apetece... partir!!!

E acrescento: alguns partem e voltam, outros partem rodopiam dão duas piruetas e acabam por voltar, outros só partem... sem saber se um dia voltam a algum lugar... estou neste grupo agora... não sei até quando...

Beijokas a todas. Vocês são o meu oxigénio...

 
At novembro 30, 2006 12:22 da tarde, Blogger 13 said...

Há viagens que nos fazem crescer! A partida não tem de ser necessariamente má...

 
At novembro 30, 2006 12:49 da tarde, Blogger Miudaaa said...

E porque não partimos?
O que nos impede?

Querer é Poder... Correcto?

Arriscar é Viver!!!

Um beijo para ti, da miudaaa

 
At novembro 30, 2006 1:26 da tarde, Blogger Isabel said...

Tambem me apetece partir, tambem não sei para onde. Acho que para montanhas cobertas de neve beber a pureza do branco.

Lá é onde consigo uma abstração mais completa e uma maior sensação de liberdade.

Já falta pouco irei partir para as montanhas em Fevereiro.

Alexandre gostei muito da mensagem que deixaste na minha casinha.

Colaborarei contigo com agrado sempre que quiseres e este tempo que é sempre pouco me permitir.
Será um prazer.

Até já

Isabel

 
At novembro 30, 2006 2:42 da tarde, Blogger ** sean paul** said...

Também a mim me apetece partir... Para onde? Não sei... Mas apetece-me

Bjx

 
At novembro 30, 2006 6:49 da tarde, Blogger MJose said...

Inevitavelmente, também já me senti assim... São estados de alma e, no meu caso, graças a Deus (ou a mim, sei lá!), passageiros, porque gosto bastante mais de voltar do que de partir e gosto, infinitamente, de ser quem sou e de estar aqui, viva para o gritar bem alto...
Mas gostei muito do poema. É bem ao meu estilo,revela grande riqueza de emoções e muitíssima sensibilidade.
Um beijinho à autora e os meus sinceros parabéns.
E para ti, Alex, outro beijinho, pela excelente escolha que fizeste.
Estou a tornar-me assídua no teu blog, o que certamente, será sintoma de alguma coisa, não é?
Jinho.

 

Enviar um comentário

<< Home