domingo, janeiro 21, 2007

O PODER DAS PALAVRAS (NÃO) DITAS ...

A p a n h e i o m o t e dos posts dos blogues da Teresa Paula Marques (clic para ver) e das Composições da Dora (clic para ver) sobre o Poder das Palavras para filosofar um pouco... para transversar, como costumo dizer, sobre Palavras, mas especialmente sobre as Palavras... não ditas!

É por demais conhecida a expressão de que uma imagem vale mais que mil palavras. Para mim, isto nem sempre é válido: a imagem tem uma função mas a Palavra é insubstituível! A Palavra pode ter uma força tal que nenhuma imagem a conseguirá ilustrar.

O exemplo da Palavra «Amo-te». O cinema, o teatro e as telenovelas abusam dela, banalizam-na, diz-se «amo-te» ao virar de cada esquina, de cada cena ou de cada capítulo! E na vida real, como é? Quase que podia afirmar que é das palavras menos ditas... as pessoas têm inibição de utilizar a palavra, o termo ou a expressão: «é um dado adquirido», «está subentendido», «não se nota nos meus gestos?», são alguns dos argumentos para as pessoas não usarem a palavra «amo-te» numa relação ou numa situação.

Por isso, eu afirmo que o Poder das Palavras muitas vezes está nas palavras... não ditas! Por isso, é preciso ler e entender no intervalo dos sons e dos silêncios. O mais importante que as pessoas dizem umas às outras é geralmente aquilo que ... não dizem!

Numa conversa dou mais importância às palavras que os sons não articulam que às palavras sonoras! Gosto de «adivinhar» aquilo que os outros gostariam de dizer... mas não dizem! Porque pensam que não vale a pena, porque pensam que o interlocutor não vai dar importância ao «desabafo», «à ideia louca», e então muitas vezes as conversas acabam nas banalidades do tempo, do trabalho, dos estudos, das compras...


Adorava conversar apenas e só através das palavras não ditas! De certeza que as conversas seriam muito mais eloquentes, mais intimistas, mais verdadeiras, mais intuídas...

(A tocar «Wind of Change» dos Scorpions
com a Orquestra Filarmónica de Berlim)

À MARGEM:

Já repararam que não há portuguesas (mulheres) nos 10 MAIS dos Grandes Portugueses? Imperdoável! Onde estão as mulheres dinâmicas deste país? Então, as mulheres votam nos homens? Não houve mulheres capazes e valentes na nossa história? Ou será que foram os homens da nossa televisão que manipularam os números? Cá para mim...

21 Comments:

At janeiro 21, 2007 11:32 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Concordo plenamente que as palavras têm uma força brutal, mas para o bem e para o mal atravessamos uma era visual e a televisão, sendo o meio de comunicação mais difundido cá no nosso país, tem contribuído muito para este estado de coisas. É mais rápido, logo mais cómodo dar uma olhadela do que parar, ler, saborear as palavras e pensar nelas.
Susan

 
At janeiro 22, 2007 3:17 da manhã, Blogger José Alberto Mostardinha said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

 
At janeiro 22, 2007 9:35 da manhã, Blogger Isabel-F. said...

"...o Poder das Palavras muitas vezes está nas palavras... não ditas!"

Nunca tinha pensado nisto desta forma ...

adorei a tua abordagem e claro que estou de acordo com ela.

boa semana
Bj

 
At janeiro 22, 2007 9:41 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Bom dia, Alex - estou plenamente de acordo.
Aposta-se realmente muito no visual - esquece-se que é muito importante falar, soltar a palavra, dizer o que se sente verdadeiramente.
Ler, discutir, encontrar um sentido para a palavra - fundamental para aproximar mais as pessoas.
Texto óptimo, Alex.
Beijos e abraços
Marta

 
At janeiro 22, 2007 10:21 da manhã, Anonymous Tiago Mendes said...

Adorei este post, Alex!
Realmente, tudo o que disseste tem razão, e eu vou começar a ter mais atenção a isso. Ás palavras que não são ditas mas são pensadas!^^

Um abraço,
Tiago!

PS: Adoro a musica qeu está a tocar.. é mesmo, fenomenal! e fundamental...
É uma fundamentalidade da vida!

 
At janeiro 22, 2007 3:14 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Palavras para quê??? excelente post!

 
At janeiro 22, 2007 4:26 da tarde, Anonymous Anónimo said...

É bom conversar, ouvir as palavras, mas por vezes o silêncio diz muito mais. Os olhos também falam... e quem nos conhece tem o poder de nos ler a alma!

Beijinhos

 
At janeiro 22, 2007 6:52 da tarde, Blogger Andreia do Flautim said...

Tantas vezes que gostava de saber o que as pessoas estão a pensar!

Gostei da música! Linda!

 
At janeiro 22, 2007 7:08 da tarde, Blogger Márisa said...

Adorei o teu texto.
Realmente seria muito interessante essa conversa de troca de palavras surdas! Seria por vezes tudo mais perceptível! Beijocas

 
At janeiro 22, 2007 10:03 da tarde, Blogger foreveryoung said...

Eu também acho que as palavras têm um poder enorme! E esse poder acresce quando a elas se juntam atitudes, gestos, palavras silenciadas...
Bjs

 
At janeiro 22, 2007 10:37 da tarde, Blogger José Alberto Mostardinha said...

Viva Alexandre:

Este teu texto mostra a tua sensibilidade para as questões sociais.
Tal como há silêncios "ensurdecedores", coversar através de palavras não ditas será o ponto mais alto de qualquer diálogo.
Seguramente que já falaste por silêncios... e seguramente que te entenderam.

Um abraço,

 
At janeiro 23, 2007 12:28 da manhã, Blogger margusta said...

Alexandre
........................................................................................................................

Venho só para te deixar um beijinho ;)

 
At janeiro 23, 2007 1:49 da manhã, Blogger Cocas said...

Passei para te deixar um beijo...

 
At janeiro 23, 2007 11:21 da manhã, Blogger Cusco said...

Já um grande poeta algarvio o dizia, em relação ao poder das palavras não ditas:

"Sem que o discurso eu pedisse
Ele falou: Eu escutei
Gostei do que ele não disse
Do que disse não gostei"

 
At janeiro 23, 2007 6:34 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Olá Alexandre:

Como sabes, sou uma apaixonada pela palavra, mas não a banalizo, antes a sublimo...e não descuro a importância do gesto, um olhar, um toque, um sorriso especial...uma cumplicidade, sem a qual qualquer relação duradoura entre seres humanos é inviável..."O cinema, o teatro e as telenovelas abusam dela, banalizam-na, diz-se «amo-te» ao virar de cada esquina, de cada cena ou de cada capítulo! " Como concordo contigo...!!

 
At janeiro 23, 2007 9:35 da tarde, Anonymous Anónimo said...

realmente as vzs é divertido pensar o que uma pessoa está para dizer mas nao diz...e sim...essa palavra ja ta demasiado banalizada...

 
At janeiro 23, 2007 10:12 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Se a curiosidade te perseguir..deixei uma nos anos da tua mãe..

um abraço
intruso

 
At janeiro 23, 2007 10:50 da tarde, Blogger José Alberto Mostardinha said...

Viva ALexandre:

O Estados Gerais desenvolve, por esta altura, uma luta sem tréguas contra a hipocrisia e a falsidade e a favor da justiça e da moralidade.
Diariamente surgem relatos que me envergonham de ser português.
Misturam-se conceitos profanos com argumentos religiosos... e já chega ao cúmulo de bispos compararem um aborto (seguramente feito por circunstâncias excepcionais) á pena de morte.

O contributo dos comentários de pessoas sãs de espirito e sérias perante a vida como o Alexandre, são o melhor "bálsamo" que poderá ser prestado.

Um abraço,

 
At janeiro 23, 2007 11:46 da tarde, Anonymous olga said...

Olá Alexandre!
Pois é, as palavras... eu adoro senti-las! As ditas, as vistas nos olhos, nos gestos...As adivinhadas, as enviadas, as recebidas, as sussurradas, as que se escapam...
As palavras... E as que custam,as que doem mais, sabe quais são? As palavras proibidas...As que queremos dizer e não podemos...As que nos sufocam, que fogem do coração e da alma mas que temos de encarcerar em torres se temporalidade incerta...Essas palavras, Alexandre, as secretas,essas doces palavras...custam...doem...

Um beijinho,
Olga

 
At janeiro 25, 2007 12:10 da tarde, Anonymous kalinka said...

OLÁ
Só hoje te vim LER, pois como aqui dizes dás muito valor à força das palavras...
Estou de acordo contigo que: a imagem tem uma função mas a Palavra é insubstituível!
Tal como alguém aqui escreveu, é mais rápido, logo mais cómodo dar uma olhadela do que parar, ler, saborear as palavras e pensar nelas. Existe muita preguiça visual. Cada vez mais.
Bom dia de Vida.
Beijokas.

 
At janeiro 25, 2007 1:12 da tarde, Anonymous kalinka said...

ORA BEM...que bela lembrança a tua...nem me tinha apercebido porque não sigo esse programa com regularidade.
Mas, tenho a certeza que haverá
portuguesas (mulheres) nos 10 MAIS dos Grandes Portugueses.

Pois, parece que as mulheres votaram nos homens; como não votei...!!!
Também posso ficar com essa dúvida:
será que foram os homens da nossa televisão que manipularam os números...???
Beijokas por te lembrares das mulheres.

 

Enviar um comentário

<< Home